Arquivo para dezembro, 2009

Mandingas de ano novo

Posted in Sem categoria with tags , , , , , , , on 12/31/2009 by vohfumada

Ano novo! Por alguma razão nós acreditamos que o início de um novo ciclo no nosso sistema de contagem de tempo pode resultar no início de um novo ciclo em nossas vidas. Faz sentido! Talvez seja por isso que nós investimos tanto do nosso tempo preparando todo o tipo de simpatia, mandinga, ritual o que quer que seja para a virada do ano. Não sei se isso é coisa de brasileiro, mas os gringos costumam se surpreender quando a gente conta.
Comecemos com o básico: ninguém precisa ser macumbeiro para se vestir de branco na virada do ano, ver todo mundo vestido de branco deixa aquele instante mais especial, parece unificar todos em torno de um acontecimento. Ai vêm a roupa de baixo: calcinha vermelha pro amor, cueca amarela para dinheiro, verde para saúde (curiosamente eu nunca ouvi alguém dizendo que ia vestir uma cueca verde). É claro que não podemos nos esquecer dos banhos do dia 30 e 31, para garantir que as energias ruins sejam limpas da gente.
É claro que temos também as mandingas do momento da virada: dinheiro na carteira para que ela continue cheia durante o ano, estar sob o pé direito a meia noite para começar o ano bem, comer uma colher de lentilha para garantir prosperidade (algumas pessoas colocam uma nota embaixo do prato de lentilha também). Logo depois da meia noite, deve-se ir até o mar, pular as sete ondas e jogar flores para Iemanjá. Além disso, existem também as pequenas simpatias que não necessariamente atraem algo: musiquinhas de ano novo, estourar a Champagne (ou vinho espumante, ou sidra…), brindar olhando nos olhos e sempre antes de beber.
No fim das contas, o dia primeiro de janeiro é o dia em que todas as superstições entram em cena em um intervalo de cinco minutos. O resultado é um monte de tios e tias sob a areia da praia pulando num pé só com a boca cheia de lentilha cantando “Adeus ano velho, feliz ano novo” enquanto olha nos olhos uns dos outros e se preparam para jogar aquela Champagne (ou sidra) goela abaixo ao mesmo tempo em que seguram os bolsos para não perder todo aquele dinheiro. Mas não adianta porque ele vai molhar inteiro assim que todo mundo cair que nem bosta na água tentando pular, bêbados, as sete ondas, ai é tacinha pra um lado, flor pro outro, dinheiro molhado e, é claro, aquela deselegância da calcinha vermelha aparecendo por baixo da roupa branca molhada. Mas é claro, ninguém acredita em mandinga.

Feliz ano novo para todos!

Anúncios

Crônicas do Dia do Sexo

Posted in sexo with tags , , , on 12/20/2009 by vohfumada

Na festa, o casal no maior amasso, o cara fala:
-Quer ir embora?
-Ah… sei la..você que sabe, tô contigo!!
-Vamos pra outro lugar?
– oO
-Que vc acha?
-Vamos =)

Motel Número 1:
Atendente nem na guarita tava, meia volta e bora p/ próximo.

Motel Número 2:
-Oi, eu gostaria de saber qual suíte está disponível.
-Nenhuma, só daqui no mínimo em uma hora.
-Okey, onrigado.

Motel Número 3:
-Por hoje está tudo lotado.

Motel Número 4:
-Não há nenhuma suíte disponível.

Motel Número 5:
-Está tudo lotado.

Então o cara fala:
-Vou te levar p/ casa.. Tá tudo lotado!! Nossa meu…
-Ah, beleza. Segunda você cola lá em casa.
-Mas eu não gosto dessas coisas meio forçadas
-Tá bom, quer assistir um filme lá em casa na segunda?
-Pode ser!
-E se caso não der, vamos na árvore mesmo!

Carta ao poeta

Posted in Sem categoria with tags , , , , , , , on 12/08/2009 by vohfumada

Eu, de fato, tenho toda essa sensibilidade que me acusam de faltar. Peito, coração, sangue. Tenho tudo isso e muito mais! Arrisco dizer, inclusive, que tenho muito mais do que você ou qualquer outro, tenho, mas guardo para mim e para quem interessa.
Tenho tudo o que preciso e um pouco daquilo que não preciso também. No entanto, tenho certeza de que toda essa certeza me faltará um dia. Naquele dia de chuva, cinza, por entre o barulho dos carros passando pelo asfalto molhado, terei dúvidas quanto as minhas posses. Sentarei na janela, fumarei um cigarro e pensarei “Será que eu tenho mesmo?”
Ora, se me coloco em dúvida é porque, no mínimo, tenho consciência. Quantos nesse mundo cinza podem dizer que têm isso? Tenho consciência das minhas limitações, dos meus problemas, das minhas paixões e paranóias. Não que eu faça muito para me desfazer de tudo, mas ao menos sei que isso é inerente a mim.
Tudo bem, aceito críticas, deve ser por preguiça que não transformo todos os meus defeitos em qualidades. Do ponto de vista do capital não produzo mais-valia, nem relativa, nem absoluta. Deve ser o fetiche da mercadoria que faz de vocês meros críticos, seus não possuidores! O que eu tenho, meus amigos, entesouro.

E você, que tanto alarma, que tanto diz, no momento exato se veste de pobre.

Não que eu não goste disso, na verdade, eu adoro! É segredo, não conte para ninguém, digamos que esse é meu fetiche. Mas não se incomode com isso, temos tudo aquilo que nos é necessário e algumas coisas desnecessárias também, meu amor. A única diferença entre nós dois talvez seja que você sabe fingir, e eu não.

Mudanças

Posted in Devaneios on 12/07/2009 by vohfumada

Dei uma lida aqui no blog e o que vejo são posts meio deprês, amores perdidos, amores que nunca aparecem etc.

Foda hein! Incrível como os seres do sexo masculino conseguem deixar 3 garotas (somos 3 que escrevemos aqui) desconcertadas.
Meeeeuuuu
pausa!
Incrivelmente quando estou escrevendo esse post, me vem uma mensagem que me deixou extremamente muito feliz!
Sim, é algm do sexo masculino.
Merda, já to pensando “mais um que me vai foder a vida”.

Ah, vamos ver no que vai dar.

Voltando ao assunto.
2009 foi um ano meio estranho, não só para mim, mas tenho conversado com amigos que falaram a mesma coisa e também amigos de amigos que concordaram.
Me sinto numa fase de transição, não sei de onde tô saindo nem onde vou chegar. Mas minha cabeça tá um turbilhão.
Não coloco a culpa no último ano de faculdade e nem na eperança de uma efetivação.
Simplesmente não consigo explicar. Acho que é a necessidade de me desapegar das coisas.
Eu tô tão confusa que nem sei que música ouvir!! =P

Encaro isso como um sinal, deixar tudo pra trás e viver o que tá acontecendo agora.
Eu sei que aprece frase de livro de auto ajuda, mas é uma verdade.
Deixar pra trás e ser feliz!!

Estava me sentindo numa eterna TPM.
OBS.: Quando tenho TPM fico sentimental e choro até com inauguração de super-mercado.
Agora tô me sentindo muito leve, incrível sensação.
Isso só pôde acontecer depois de parar um fim de semana e ver
que tudo aquilo que eu desejava era impossível ter, então
o negócio era deixar rolar, corres atrás das coisas e ver no que dá,
sem se deixar levar por infortúnios que aparecem e que só atrapalham a vida.

Não estou falando somente de homens.
Eles são uma praga, sim…
Mas fazer o que??
Não sinto a atração por mulheres a ponto de virar lésbica.
Até porque acho mulheres MUITO chatas (exceto aquelas que são amigas).
Sério, imaginou um casal de lésbicas de TPM?? Tô fora.
E sexo? Nunce experimentei (e nem quero), mas queles cintos de pinto não me parecem muito legais.
Estou falando no geral mesmo, claro que homens são o motivos da maioria dos problemas femininos e que grande parte da inspiração desse texto foram eles,
mas o negócio é muito mais além, acho que agora estou me sentindo livre aos poucos.

O fato é que as coisas estão mudando, espero que para melhor.
O lance é deixar fluir, deixar rolar, ouvir Lady Gaga e vamo que vamo!

Sincericídio

Posted in Sem categoria on 12/05/2009 by vohfumada

Até que ponto eu poderia me jogar? É uma questão interessante…

Quando eu me dei conta já estava lá, com o vento a me soprar os cabelos, planando no ar, tenso não acha? São esses momentos que fazem a gente se sentir viva, sabe? De que adianta ter um corpo se você não o sente, ou de que que adianta ter sentimentos se você não os usa? Eu gosto da adrenalina, do sangue correndo nas minhas veias, da alegria.
Mas, voltando ao que eu estava dizendo, quando eu me dei conta já estava no ar, voando. Sabe que eu morro de medo de altura? Sabe né… acho que eu já te falei isso uma vez. Pois bem, nesses momentos não podemos pensar muito em como vai ser a aterrissagem. É o que todo mundo sempre diz: se há uma hora que as coisas podem dar errado é na hora de decolar ou pousar. Essas horas eu costumo fechar os olhos, pois só de sentir o avião baixando já me da calafrios.

Enfim, mas eu não tive decolagem, como eu dizia estava eu voando no ar. Sabe? Na verdade eu ainda estou aqui. É bom… um remédio anti-monotonia.

Acontece que, agora, acho que não tem mais volta.

Estou te mandando essa carta para saber , afinal, se o para-quedas está aqui. Estou procurando, mas nada! Por mim eu continuaria aqui alguns dias ainda, planando, está uma delícia! No entanto, eu estou começando a avistar o chão e o tempo parece que vai virar.

Enfim, aguardo ansiosamente a resposta.
Um beijo!

Recomendações: Blogs de músicas

Posted in Sem categoria with tags , , , on 12/04/2009 by vohfumada

http://nightmare-rock.blogspot.com/

Nightmare Rock

Nesse blog consegui achar alguns cds muito bons!
Bem que o VohFumada poderia ter uma seção só de albuns para baixar… seria interessante. Fica a idéia.

A foto

Posted in Sem categoria on 12/03/2009 by vohfumada

Por alguma razão aquela foto me chamou a atenção.

Não era uma foto lá das melhores fotos que alguém pode tirar, na verdade o seu rosto estava até meio fora de foco e havia muita poluição no cenário. Mas, acredito que aquela foto tinha algo que outras fotos não tinham, a lembrança de quem a tirou.
Eu já tirei fotografias muito boas, não sou profissional, mas sabem como é… câmera digital, uma máquina na mão uma idéia na cabeça. Gosto de modelos, não me interessam fotos de flores, bichinhos ou afins. Gosto de pessoas, olhares, histórias.
A melhor foto que eu já tirei até hoje foi de uma manhã de sexta feira. Dois amigos que não se viam fazia muito tempo, pijamas, uma casa fadada ao esquecimento dos anos. Eles subiram no muro, um de pijama o outro pronto para ir trabalhar. descabelados ainda, pois afinal teve festa do reencontro na quinta. Horas e horas de cerveja, litros de conversa.

Sentados no muro pichado, com a casa de cenário e a cadeira com a tolha a secar. Olhavam para frente, sorriam o sorriso bobo da manhã de ressaca. Senti inveja daquele momento, senti inveja daquela foto que eu sabia que não ficaria pra mim, gostaria de morar naquela casa, ter aquele amigo, dormir com aquele pijama.

A foto? A primeira cópia está guardada em uma gaveta em outra casa na Vila Gomes, a segunda cópia foi enviada pelo correio para Florianópolis.

Digo todas essas besteiras pois agora estou vendo justamente a foto que me fez querer escrever. Linda foto, desfocada, cheia de histórias para contar, um momento específico registrado que só quem sabe o que significa é a fotógrafa (creio eu que seja uma fotógrafa) e o modelo.