Archive for the Relacionamentos Category

Carmin.

Posted in Cotidiano, Devaneios, Relacionamentos, sexo with tags , on 04/30/2010 by vohfumada

Engraxei os sapatos no último fim de semana. Na verdade meu pai o fez por mim. Viu os sapatos descascando e de mim teve pena, como se eu fosse uma coitada por ele não poder me comprar pares novos.
Na verdade ele pode!
Fazem da minha visita um evento. Sinto-me importante. Cozinham o que gosto de comer, presenteiam-me com roupas novas, livros, trazem vinho bom – às vezes nem tanto – e engraxam meus sapatos.
Ganhei o par há quatro anos. Combina com o vestido, da mesma cor, que comprei há uns dois.
Era como eu estava vestida naquele(s) dia(s). Eu sabia que você ia achar bonito! Já faz um tempo. Há um tempo que guardava você nos pés: a tinta com que você os sujou.
Meu pai apagou, pra me fazer esquecer do amor que ele só desconfia que tive: “não sofre por pouca merdinha não, filha!”

Um dia ruim – Vá com Deus Louise

Posted in Devaneios, Relacionamentos with tags on 02/09/2010 by vohfumada

De vez em quando temos dias bons, outras vezes dias ruins. Não precisa muito para escrever um texto. Eu mesma enquanto escrevia essas primeiras frases fiquei sabendo que uma amiga minha morreu hoje de manhã. Eu achei que o meu dia tinha sido ruim, e de fato não foi bom, mas acredito que para alguém da família dela, ver uma pessoa tão nova com um futuro inteiro pela frente, prestes a terminar a segunda faculdade, inteligente, bonita e alegre; deve ser algo muito doloroso.

Enfim, não vou mais escrever sobre o meu dia ruim, nem sobre os dias ruins das outras pessoas. Deixarei para outro dia as histórias engraçadas que marcaram os ” dias ruins ” dos outros para tentar homenagear uma pessoa que infelizmente eu não conversava fazia algum tempo, e que agora eu vejo que eu deveria ter telefonado mais, conversado mais e feito menos pouco caso da sua amizade.

Vá com Deus Louise, tenho certeza que além de ser uma pessoa muito preciosa para todos que te conheceram, você foi uma pessoa que procurou fazer diferença no mundo e certamente você o fez.

Um draminha bem vagabundo!

Posted in Arte, Devaneios, Relacionamentos with tags , , , , , on 02/06/2010 by vohfumada

Já tinha o espaço definido, cento e cinco centímetros por cinqüenta centímetros, em madeira, achada na minha rua mesmo e trazida para a casa há nove meses.

Passados uns dois meses de inércia resolvi, na madrugada de uma quarta-feira de julho, como iria utilizar aquele espaço que anteriormente havia sido, ao que parece, base de alguma foto de casamento que alguém não quis mais lembrar.

Foram quatro horas tentando desenvolver o feto, o maldito Frankenstein, a idéia grandiosa que preencheria o maior espaço em que eu até hoje já teria pintado, medíocre que sou, acostumada a pintar em limites de vinte centímetros quadrados. Quatro horas para, no instante final, olhar para o papel de rascunho e ver um monte de rabiscos a lápis que na verdade não significavam nada, porque a idéia mesmo ficou na mente, idealizada com a composição completa, com a disposição das cores e das formas.

Preparei todo o material para apagar de vez a história contida na madeira, para matar os noivos e os substituir por uma mentira qualquer, que alguém admiraria porque as belas mentiras sempre substituem uma verdade inconveniente como se fosse a própria verdade. É como quando a gente é pequeno e fantasia alguma coisa que nunca aconteceu e cresce contando a história acreditando que ela existiu e faz parte do nosso álbum de família. E a mentira era alva, clara o suficiente para cobrir a obscuridade do abandono do quadro: um fundo mais branco que o vestido até o pé cobrindo tudo, depois de devidamente lixado para que a tinta não escorresse sobre a superfície como o choro da noiva traída sobre a pele perfeitamente maquiada.

E por cima do branco as outras cores iam surgindo. O quadro ficava cada vez mais bonito. Eu achava bonito mesmo era porque lembrava você. Ou o tema, ou as cores, não sei; a cada vez que eu pegava no pincel era com mais desejo de ver o resultado final. O resultado final apareceu na semana passada, com nove meses completos e contados do dia em que eu o encontrei na rua.

Eu nunca fico com os quadros que eu pinto, sabe. Não suporto olhá-los por muito tempo quando estão incompletos e só continuo olhando se for enquanto os termino. Quando os termino também não suporto olhá-los, a não ser fingindo que não são meus. Alguns não tem assinatura até hoje, os que ficaram na minha parede. Mas esse eu orgulhosamente assinei e precisava dar a alguém.

E eu dei. Ontem, dolorosamente, doei meu filho problemático, o filho de mãe solteira, o filho que tem a sua cara, mas não é seu, pois o encontrei na rua, pois agora pertence a outro.

Eu sou legal, não estou te dando mole

Posted in Relacionamentos with tags , on 06/06/2009 by vohfumada

Quem nunca viu essa comunidade do Orkut?

Pois é. Mas isso é uma realidade que assombra milhares de pessoas. Uma delas.. EU.

Por ser tão legal, ex namorado meu desconfiava que eu pulava a cerca.
Antes de namorar com ele já era amiga de um de seus amigos. Ai em um belo dia (antes de namorar, é claro) no msn o tal amigo fala:
Po, então.. de vez em quando vô ai pra São Paulo, lá na galeria do Rock.
Eu então respondi:
Da hora! A gente depois pode tomar uma breja, ai se ficar muito tarde sei la.. tu pode durmi aqui em casa.

Não, não dei em cima do cara nem nada. Apena fui LEGAL, poha.

Ai então meu ex, a partir desse fato, achava que a qualquer hora eu poderia corneá-lo. Custou um tempo para convencê-lo de que eu era apenas legal, e então ele me disse:
Você não pode ser tão legal assim! Porque homem não entende, homem acha que qualquer coisinha já tá dando em cima dele.

Tá.. okey…

Mas continuei sendo legal.. foda-se os homens egocêntricos  convencidos que acham que quando uma mulher está sendo legal ela está dando mole.

Acontece que as coisas não são bem assim…

Eu e uma amiga conehcemos um grupo de amigos. Eu fiquei mais amiga de um cara, decobrimos que temos os mesmos gostos e então combinamos de ir num desses showzinhos ditos “underground” da Rua Augusta. No final so show ele vem com o famigerado papinho:

– Pô, então te acho mó da hora, te curto pra caramba.. então.. ai sei la..Rola alguma coisa?

Primeiro de tudo: cara, como alguém dá uma cantada dessas??
Segundo: Eu NUNCA demostrei interesse muito menos afeto para com esse amigo. Eu estava sendo legal!! Ai então tive que dar um fora simpático, porque afinal, o cara é meu amigo e eu gostaria de continuar a amizade. Falei que não era hora, tinha terminado recentemente um namoro de um ano e meio. Mas isso não foi suficiente, o cara ainda lutava por um beijo meu. Não me aguentei falei:
-Não é você. Sou eu.

Eu sei.. é ridículo. Tive que mentir que por ter terminado recentemente um  namoro eu não estava muito afim de ficar com alguém. Mintira. Eu já tinha superado o fim do namoro fazia tempo!

Outra situação aconteceu recentemente.
Trocava idéia de boa com um amigo.. mas normal, nada demais. Um belo dia o convidei para ir num show (desses dito “underground” da rua augusta…). Desde então minha vida se tornou um inferno. Eu simplesmente fui legal em convidá-lo porque afinal, eu só queria companhia porque foi em um dia que minhas amigas não se encontravam em São Paulo. Agora ele acha que eu tô afim dele. Como eu sei disso? Ele me envia  mensagens de caráter afetivo, ainda mais para um ser que eu classifico como amigo.

E não só nesses casos, várias vezes em balada vem um cara e eu troco idéia de boa, mas ai qualquer cara já acha que eu tô afim dele. Não demora muito pra jogar o (famigerado) papinho:

E então.. te curti pra caramba.. será que rola alguma coisa?

Não! Poxa, é proibido trocar idéia de boa numa balada??

Uma vez no show do Matanza fui em direção ao bar, quando repentinamente chega um ser:
-Oi, posso te pagar uma cerveja?
eu respondo:
-Poxa, não gosto de cerveja
ele:
-Ah, o que vc quer então? Eu pago..
Eu:
-Água?
Ele:
-Pode pedir então.

Okey. A pergunta principal foi “posso te pagar algum coisa?” Claro que pode! Oras, quem vai recusar? bebida de grátis! Afinal a perguntar não foi “e ai, rola alguma coisa?”
E ao longo do show trocamos idéia, até que… Sim! A pergunta surgiu!!
Fato: sim eu sei que fui meio cuzona ao aceitar a bebida, eu sei que nas leis gerais que regem o mundo ao aceitar que alguém pague uma bebida p/ vc, automaticamente você está dando mole p/ essa pesoa.
Na verdade antes de se submeter a gastar com alguém deve-se saber se esse alguém está afim de você, se não, vai acabar fazendo papel de trouxa.
Que foi o caso desse cara. Eu tava namorando na época, é claro que ele recebeu um não!!

Esse lance de ser legal é claro que não acontece só com mulheres. Muitas vezes homens querem trocar idéia de boa e a mulher, com todo seu egocentrismo acha que ele está afim dela.

A conclusão que tiro disso tudo é ser legal na medida certa. Qual é essa medida? Sei la!! Até eu tô tentando descobrir!!

Ah, dúvida cruel!

Posted in Devaneios, Relacionamentos with tags on 03/14/2009 by vohfumada

Quem nunca passou por um situação que tá morrendo de vontade de sair com um cara, ma sabe lá se ele quer sai com você. Mas enfim, você é mulher e se acha o corajosa o suficientepara tomar atitude e ligar. Mas o que você mal espera é que na hora que pega  telefone fica olhando pra ele e pensando “ligo ou não ligo?”.

Uma vez eu liguei. Tive de ouvir “Ontem a noite tomei um porre de whisk e hoje tô meio sei-la. Mas é sabado.. bom eu te ligo qualqer coisa!”
Eu acabei saindo com uma amiga esse dia e durante a noite recebi a seguinte mensagem: Pô, tô meio mal hoje, nem vai rolar de sair. Desculpa.

Mensagem… uma das melhoes invenções. Nessa dúvida de “ligo ou não ligo” acabei mandando ma mensagem, é meio impessoal mas acaba solucionando o problema de forma prática. Mas não obtive resposta, não sei se ele recebeu.

E ai, ligo ou não ligo?

Apaixonando-se. Parte 2.

Posted in Devaneios, Relacionamentos with tags on 03/11/2009 by vohfumada

Certo dia, numa aula de Estética e Cultura de Massa, a professora disse:
– Apaixonar-se é um saco. Você não pára de pensar nele! Quer ler um livro mas pensar nele é algo mais forte!

Na época eu estava namorando e então pensei:
Oras, eu não sou como todas as mulheres,  não penso no meu namorado toda hora, eu sei me controlar e eu o amo.

O fato é que com o tempo as coisas foram se acostumando, me acostumei com ele. Acho que realmente naquela altura do campeonato eu não estava mais apaixonada como no início do namoro. Isso foi um dos motivo pelo qual ele terminou, viramos amigos, não existia mais paixão.

Agora eu entendo o que essa professora  quis dizer. Me encontro no exato momento assim. Acabei de lembrar que essa professora tá com umas fitas VHS´s minhas sobre a História do Rock, eu juro que as quero de volta!
Voltando ao assunto…
Quando você tá no trabalho ou faculdade, okey, pois mantém a mente ocupada. Mas nas horas de ócio, ou seja, depois de “Os Mutantes” e “Chamas da vida” ou até mesmo durante “Os Mutantes” e Chamas da Vida” até a hora de dormir só fico na expectativa da chegada do fim de semana. Falando nisso, viram que o Dado Dolabella morreu ontem na novela? Como eu gostaria que isso fosse real.
Mas como eu quero logo o fim de semana pra poder sair, ou então até mesmo assitir um filme em casa. Mas infelizmente minha tv não tem entrada para DVD. Um amigo meu falou que com um transmissor eu consigo. Um amiga falou qu se ligar o DVD num VCR e ligar o VCR na única entrada da TV, rola. Mas mais difícil que arranjar um transmissor, é arranjar um VCR!!!

Mas só de encontrar com ele já tá ótemo!

O foda é quando alguém se apaixona por você  não há nada que possa fazer. Simplesmente, você não gosta da pessoa! Você só quer amizade, até porque o cara até que é legal e tudo mais, mas não rola! Ai eu fico imaginando aquelas frases feitas de filme de comédia romântica:
Eu não gosto de você assim como você gosta de mim. Vamos ser só amigos.

É um clichê mas tenho vontade de usar!
Confesso que já usei a “O problema não é você, sou eu.”
Deu certo, eu acho.

Apaixonando-se

Posted in Arte, Questoes da Humanidade, Relacionamentos on 03/09/2009 by vohfumada

Ontem la pelas 8 horas da noite entre uma e outra olhada no msn esperando um recado importante me vem a mensagem de uma amiga ” Da uma lida nisso” e me manda um post de um blog http://meiointelectual.blogspot.com/ que so tinha um post ” Bar ruim e lindo, bicho!” Logo me lembrei dos meus tempos aureos de solteira-fazendo-cursinho-em-Santos e dos bares terriveis que nos iamos, nao porque era barato (porque,de fato, em cidade de turista bar barato mesmo so ao lado de puteiro). O tipico bar que toca a fita demo do calypso cover enquanto os tiosinhos-barrigudos-sem-camisa abanam churrasco. Fui e ainda sou frequentadora desse tipo de lugar, agora em menor escala pois adotei um novo bar e, aquele nao pode ser considerado “meio intelectual, meio de esquerda” mas o atendimento e bom. 

O fato e que essa minha amiga estragou o meu domingo de leituras academicas, o domingo que eu tinha para fazer tudo o que eu devia. Ao ler esse texto pensei ” Nossa, genial esse tal de Antonio Prata!” e corri atras de mais uma coisa ou outra que ele tivesse escrito. Cai nos dois blogs dele (o antigo e o novo) e me apaixonei! Haha descobri que e possivel se apaixonar por um cara que vai ajeitar a gaveta e termina querendo fazer um regime, que comeca a noite com seis negos dentro de um Ford Ka e termina brincando de danca das cadeiras numa festa X. Sensacional! 

Recomendo a todos que quiserem alguma diversao:

http://blogdoantonioprata.blogspot.com/ – Blog Antigo

http://blog.estadao.com.br/blog/antonioprata/ – Blog novo

Quanto a mim, ja sao 12:10 de segunda feira e nao lavei minha roupa e nem tomei banho ainda. Vou correr sem ler o Foucault e tocar a semana.